SAÚDE

12 sinais de desidratação que você não deve ignorar

12 sinais de desidratação que você não deve ignorar


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Além da sede, muitas pessoas ignoram os sinais comuns de desidratação, acreditando que os sintomas que sentem acabarão por desaparecer.

Por anos, muitos nutricionistas, nutricionistas, médicos e até fisiologistas do exercício pregaram a importância de consumir no mínimo oito copos de 250 cm3 de água por dia. E isso por vários motivos.

Em primeiro lugar, a água não contém calorias. Esse fato por si só a torna uma bebida ideal para quem está tentando perder alguns quilos ou deseja manter um peso saudável.

Em segundo lugar, beber muita água ajuda a eliminar as toxinas que, de outra forma, afetariam negativamente o sistema imunológico. E, por sua vez, eles podem levar a uma miríade de problemas de saúde. Na verdade, nutricionistas, nutricionistas, médicos e fisiologistas do exercício exaltam os benefícios de beber água diariamente, engarrafada ou não.

POR QUE VOCÊ DEVE BEBER ÁGUA, COM SEDE OU NÃO

É natural pegar uma garrafa ou um copo d'água quando você está com sede; no entanto, há dados confiáveis ​​que mostram que beber água fria e refrescante, mesmo quando você não está com sede, pode ter um impacto positivo no corpo.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), a água ajuda o corpo a manter uma temperatura ideal, lubrifica e amortece as articulações e protege a medula espinhal e outros tecidos sensíveis. Claro, os benefícios não param por aí. Beber muita água aumenta a micção e estimula os movimentos intestinais regulares. Ambos os processos funcionam para remover toxinas prejudiciais do corpo, ajudando a mantê-lo hidratado.

O QUE VOCÊ PODE NÃO SABER SOBRE DESIDRATAÇÃO

Provavelmente, uma das piores coisas que você pode fazer ao seu corpo é permitir que ele fique desidratado. E isso não é baseado em hipérboles, pois não faltam estudos que comprovem que a desidratação pode ter um impacto profundo na saúde geral e na qualidade de vida. Antes de nos aprofundarmos nos efeitos que a desidratação tem sobre o corpo, vamos explorar o que significa estar desidratado.

Resumindo, a desidratação se refere a um estado em que o corpo perde mais líquidos do que ingere. Quando isso acontece, ele perturba o delicado equilíbrio de sódio e outros eletrólitos no corpo. Considerando que mais de dois terços do corpo humano são constituídos por água, mesmo uma ligeira perturbação no delicado equilíbrio desses minerais pode afetar adversamente seu funcionamento.

O QUE FAZ O CORPO DESIDRATAR?

Embora perder fluidos e não substituí-los seja uma maneira rápida de ficar desidratado, você deve saber que várias coisas podem contribuir para a perda de fluidos. E todos podem deixar o corpo desidratado leve, moderado ou gravemente. De modo geral, a perda de fluidos é um subproduto da sudorese, urina, defecação e cuspe.

Também é importante notar que exercícios extenuantes ou a prática de esportes podem causar ainda mais suor, cuspir e urinar. E, em alguns casos, diarreia, que pode aumentar a probabilidade de desidratação. Embora raramente seja discutido, o choro também pode levar à perda de líquidos e à desidratação.

Afinal, essas atividades podem fazer você suar mais do que alguém que leva uma vida sedentária. Para colocar isso em contexto, a taxa média de suor entre as pessoas que se exercitam ou praticam esportes regularmente é de cerca de 3-4 litros por hora ou cerca de 10 litros por um dia inteiro.

Ainda assim, aqueles que são fisicamente ativos desidratarão mais rápido do que aqueles que não são. No entanto, ambos os grupos devem fazer questão de reabastecer o corpo com o máximo de água possível. Já que estamos no assunto, é importante notar que o seguinte também pode levar à desidratação:

DOENÇAS

Além de deixá-lo infeliz, a gripe, por exemplo, pode aumentar a probabilidade de desidratação. Estudos mostram que a gripe provoca um aumento da taxa metabólica. Esta doença não só cria um desequilíbrio mineral no corpo, mas também torna extremamente difícil se manter hidratado.

DOENÇAS CRÔNICAS

De acordo com um artigo publicado por diabetes.co.uk, a maior comunidade de diabetes do mundo, diabetes e desidratação tendem a andar de mãos dadas. Pessoas com diabetes geralmente têm dificuldade em manter seus níveis de glicose no sangue sob controle. E quanto mais altos os níveis de glicose no sangue, maior a probabilidade de desidratação.

12 SINAIS DE DESIDRATAÇÃO QUE NÃO DEVEM SER IGNORADOS

Além da sede, muitas pessoas ignoram os sinais comuns de desidratação, acreditando que os sintomas que sentem acabarão por desaparecer. Como resultado, muitos desses mesmos indivíduos ficam tão gravemente desidratados que precisam ser hospitalizados. Os sinais comuns de desidratação, que podem ou não ser acompanhados de sede, incluem os seguintes:

SINAIS DE DESIDRATAÇÃO SUAVE A MODERADA

  1. Urinar com menos frequência
  2. Uma diminuição na produção de saliva.
  3. Dores de cabeça
  4. Cãibras musculares
  5. Pele sempre fria ou seca.

SINAIS GRAVES DE DESIDRATAÇÃO

  1. Urina escura
  2. Daze
  3. Batimento cardíaco acelerado
  4. Respiração rápida
  5. Fadiga extrema
  6. Desmaio
  7. Olhos vazios

Esta lista não cobre todos os sintomas associados à desidratação; no entanto, aqueles listados estão entre os sinais de desidratação mais comumente ignorados.

QUEM CORRE MAIS RISCO DE DESIDRATAÇÃO?

Embora qualquer pessoa possa ficar desidratada, o risco é muito maior entre os adultos mais velhos. Alguns dos fatores que tornam os idosos mais suscetíveis à desidratação incluem o seguinte:

INCAPACIDADE DE RETER LÍQUIDO

Uma das desvantagens de envelhecer é que seu corpo não consegue mais manter o mesmo nível de fluido em comparação com quando éramos jovens. Em essência, isso significa que os adultos mais velhos terão que beber quase o dobro de água que alguém mais jovem para se manter hidratado.

UMA RESPOSTA DE SEDE REDUZIDA

A resposta à sede é uma condição que ocorre quando há um aumento de sódio e de outros minerais no corpo, o que ocorre quando os níveis de fluidos caem muito. À medida que envelhecemos, nossa resposta à sede começa a diminuir. Como resultado, muitos adultos mais velhos ficam desidratados sem nem perceber.

FRACA FUNÇÃO DO RIM

Outra desvantagem de envelhecer é que temos maior probabilidade de desenvolver doenças renais, o que também pode aumentar o risco de desidratação. De acordo com um estudo publicado pela Universidade Johns Hopkins, mais de 50% das pessoas com 75 anos ou mais têm alguma forma de doença renal. Como resultado, eles tendem a perder mais líquido do que o corpo necessita ao urinar, em comparação com alguém muito mais jovem. Por esse motivo, a National Kidney Foundation incentiva todos com mais de 60 anos a fazer exames renais regulares.

PROBLEMAS DE MOBILIDADE

Infelizmente, muitos adultos mais velhos têm dificuldade em se movimentar, mesmo quando estão apenas tentando chegar à cozinha para beber água e se manter hidratado.

COMPLICAÇÕES DECORRENTES DA DESIDRATAÇÃO, SEJA JOVEM OU VELHO

Agora que superamos os sinais de desidratação, sintomas e quem está em maior risco, vamos voltar nossa atenção para as complicações associadas à desidratação prolongada:

FERIMENTOS DE CALOR

Para quem gosta de fazer exercícios ou praticar esportes, a hidratação é fundamental. Afinal, a desidratação causada pela participação nessas atividades tem sido associada a cãibras, exaustão por calor e, pior, insolação.

BAIXO CHOQUE DE SANGUE

Esta complicação específica causada por prisão de ventre prolongada pode ser fatal, pois pode causar uma queda severa na pressão arterial e também reduzir o fluxo de oxigênio por todo o corpo.

Convulsões

A desidratação prolongada também aumenta o risco de convulsões devido à diminuição do sódio e de outros eletrólitos, de acordo com um estudo publicado pelo National Institutes of Health. Para referência, os eletrólitos são fundamentais na transmissão de sinais elétricos entre as células. Quando as pessoas ficam desidratadas, esses sinais são interrompidos, geralmente a ponto de ocorrerem contrações musculares involuntárias, também conhecidas como convulsões. Em casos extremos, essas mesmas crises também podem causar lesões graves na cabeça.

INFECÇÕES DO TRATO URINÁRIO

Embora as infecções do trato urinário, também conhecidas como infecções do trato urinário, e a desidratação pareçam não ter nenhuma relação entre si, as duas estão altamente interligadas. Estudos mostram que episódios contínuos e prolongados de desidratação podem levar a um risco aumentado de desenvolver infecções do trato urinário. E isso porque o corpo não tem fluidos suficientes para eliminar adequadamente as bactérias que às vezes chegam ao trato urinário.

REFLEXÕES FINAIS SOBRE OS SINAIS DE DESIDRATAÇÃO

Resumindo, uma das melhores maneiras de melhorar sua saúde geral e manter a desidratação sob controle é beber um mínimo de oito copos de 250 cm3 de água por dia. Obviamente, é uma boa ideia aumentar a ingestão se você se exercita regularmente, pratica esportes ou está na idade de ouro. Além disso, a água não contém açúcar, sal e calorias. Cada um desses motivos o torna uma ótima alternativa para sucos, refrigerantes ou bebidas esportivas.


Vídeo: URGENTE! 12 Coisas Que Seu Cocô Diz Sobre Sua Saúde (Pode 2022).